quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Cogumelos Venenosos

Os cogumelos sâo em vários países, particularmente europeus, importantes factores de intoxicação, possivelmente devido à sua larga difusão e aos hábitos alimentares da população.
Em Portugal, até há pouco tempo, este tipo de intoxicaçâo era considerado como excepcional, com a introdução progressiva dos vegetais na alimentaçâo, o numero de casos vem aumantando, mas está longe de atingir os níveis obsevados em outras regiões.
As intoxicações em crianças, em número ainda reduzido nâo permitem um udo adequado dos seus diversos aspectos no nosso meio, acrescentando-se ainda e, na maioria das vezes, a espécie tóxica não é identificada e que o quadro abservado não apresenta nenhuma caracteristica especial.
O quadro tóxico mais frequente inclui distúrbios gastrintestinais com náuseas, mitos, cólicas abdominais e diarreia, além de discretas alterações neurolóligas, como prostração, disturbios de equilibrio, hipotonia e, algumas vezes, hipercitabilidade e confusão mental.
Considerando, porém, a tendência do aumento progressivo da incidência da intoxicaçâo, achamos útil fazer um esboço dos seus principais aspectos para possibilitar ao pediatra, frente a uma eventualidade destas, orientaçâo adequada, quanto diagnótico e terapûtica.

CLINICA

Gaultier & Gervais, distinguem dois grandes grupos de intoxicações: as que caraterizas por um tempo de latência longo, desde a ingestâo até o aparecimento dos sintomas e as que se caraterizam por um curto tempo de latência.
As intoxicações de tempo de latência longo são mais graves e compreendem rios tipos de síndromas:

Síndroma hepático ou hepatonrfrítica - Produzida principalmente pela nanita phalloide. O Tempo de lantência é de 6 a 40 horas. O quadro clínico cia-se com disturbios digestivos (vómitos e diarreia), seguindo-se por alterações hepáticas, disturbios neurológicos, disturbios hidreletrolíticos e óbito. Em alguns casos aparecem sinais de comportamento renal.
O tratamento é o mesmo recomendado em clínica para as insuficiências hepáticas ou renais.

Sindroma renal: Produzida principalmente pelo Cortinarius orellanus. Carateriza-se por lesões renais tipo glomerulonefrite de evolução prolongada, podendo levar a óbito por insuficiência renal crónica. A conduta terspêutica é a mesma utilizada em clínica nas lesões renais que evoluem para insuficiência renal crónica.

Sindroma Hemolítica: Observada nas intoxicações pela Gyromitra escuita. Carateriza-se por hemólise, que é tratada como recomendado em clínica.
As intoxicações de curto tempo de latência sâo menos graves e compreendem também vários tipos de sídromas:

Síndroma muscarínica: Observada nas intoxicações por Dealbata e Inocybe. Carateriza-se por sintornatologia tipo colinérgica, semelhante à observada na toxicaçâo por organofosfarados. A antropia pode determinar bons resultados teurapêuticos nesses casos.

Síndroma psicodisléptica: Observada na intoxicação por Psylocybes, Streptaria, Conocybes etc. O paciente pode apresentar sinais de despersonalização, visão colorida, alucinações etc. Em alguns países esses cogumelos são utilizados por pessoas viciadas, como alucinógenos.
Síndroma digestiva: Produzida por várias espécies de cogumelos (Russula, Boleto, Tricholoma etc) carateriza-se por disturbios gastrintestinais: vómitos, cólicas abdominais e diarreia.

TRATAMENTO

O tratamento é sintomático.